Secretário de fiscalização de obras do TCU defende acórdão que estabelece faixas referenciais de BDI

André Mendes diz que faixas não são absolutas e permitem ao proponente cobrar taxa maior conforme produtividade O recente acórdão nº 2.369 do TCU (Tribunal de Contas da União), publicado no dia 20 de setembro e que estabelece parâmetros mínimos e máximos de BDI (Benefícios e Despesas Indiretas) por segmento e porte de obra, tem sido retaliado…

Avalie isto: