Campanha “Contrate um engenheiro” valoriza profissionais do Sistema

banner_contrate_engenheiro

Em defesa dos seus milhares de profissionais registrados, o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) tem trabalhado para esclarecer as atribuições e definir as atividades desempenhadas por engenheiros, agrônomos, meteorologistas, geólogos e geógrafos, conforme previsto na Lei Federal nº 5.194/66, que regula o exercício profissional.

Neste mês, os prefeitos do Brasil estão sendo informados pelo Confea sobre a importância de respeitar a legislação que regulamenta o exercício e as atividades inerentes às Engenharias e à Agronomia, especialmente a atribuição legal do engenheiro de elaborar projetos. “Face à necessidade de ratificar o entendimento de ‘projeto’, a fim de evitar controvérsias quanto à exata definição e aplicação de suas tipificações, informamos acerca da importância do cumprimento das disposições contidas em regulamentos, notadamente aDecisão Normativa nº 106, de 17 de abril de 2015, do Confea”, destaca o ofício expedido no dia 21 de julho pelo Conselho Federal de Engenharia e Agronomia para as prefeituras.

Tal normativo define projeto como a somatória do conjunto de todos os elementos conceituais, técnicos, executivos e operacionais abrangidos pelas áreas de atuação, pelas atividades e pelas atribuições dos profissionais da Engenharia e Agronomia, nos termos das leis específicas, dos decretos-lei e dos decretos que regulamentam tais profissões e a Constituição Federal de 1988. O termo genérico “projeto” é definido como um conjunto constituído pelo projeto básico e pelo projeto executivo.

Já o projeto básico é entendido como os principais conteúdos e elementos técnicos correntes aplicáveis às obras e serviços sem restringir as constantes evoluções e impactos da ciência, da tecnologia, da inovação, do empreendedorismo e do conhecimento e desenvolvimento do empreendimento social e humano nas especialidades: levantamento topográfico; sondagem; projeto arquitetônico; projeto de fundações; projeto estrutural; projeto de instalações hidráulicas, projeto de instalações elétricas; projeto de instalações telefônicas, dados e som; projeto de instalações de prevenção de incêndio; projeto de instalações especiais (lógicas, CFTV, alarme, detecção de fumaça); projeto de instalações de ar condicionado; projeto de instalações de transporte vertical e projeto de paisagismo.

Por sua vez, o projeto executivo consiste no conjunto dos elementos necessários e suficientes à execução completa da obra ou do serviço, conforme disciplinamento da Lei no 8.666, de 1993, e das normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

A Decisão Normativa nº 106/2015, do Confea, explicita essas definições baseada no art. 6°, incisos IX e X, da Lei n° 8.666, de 21 de junho de 1993, que regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, bem como na definição de “projeto básico” produzida na seção 4 da Orientação Técnica IBRAOP/OT – IBR 001/2006, de 7 de novembro de 2006, do Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas (IBRAOP), que visa a uniformizar o seu entendimento da legislação a respeito do conceito de projeto básico, especificado na Lei Federal n° 8.666, de 1993, e alterações posteriores.

Na mesma linha de proteção das competências dos mais de 1 milhão de registrados no Confea, a Decisão Normativa estabelece ainda que cabe exclusivamente ao Sistema Confea/Crea definir as áreas de atuação, as atribuições e as atividades dos profissionais a ele vinculados, não possuindo qualquer efeito prático e legal resoluções ou normativos editados e divulgados por outros conselhos de fiscalização profissional tendentes a restringir ou suprimir áreas de atuação atribuições e atividades dos profissionais vinculados ao Sistema Confea/Crea.

Nesse sentido, o ofício encaminhado aos municípios chama atenção para o fiel cumprimento da legislação. “As prefeituras, órgãos governamentais e outros entes que recusarem ARTs (Anotações de Responsabilidade Técnica) de quaisquer projetos anotadas por profissionais legalmente habilitados do Sistema Confea/Crea poderão incorrer em ilegalidade”, enfatiza o documento.

Campanha
Ainda como forma de esclarecer e promover as atribuições dos profissionais da Engenharia, está sendo lançada a campanha “Contrate um engenheiro”. A ação envolve entidades de classe e a sociedade de todo o Brasil, além de órgãos públicos.

De modo lúdico e explicativo, o conceito de “projeto” e suas tipificações são detalhados em campanha publicitária e outros materiais de divulgação institucional. A proposta é garantir a compreensão do público acerca das competências legais dos engenheiros na elaboração do projeto arquitetônico, classificado como uma subcategoria tipificada do projeto básico.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s